Dicionário crítico: pensar definições de quadrinhos a partir de Bataille e Benjamin

Lielson Zeni

Resumo


A proposta deste artigo é construir um dicionário crítico conforme o modelo de Georges Bataille na revista Documents. Nela, o escritor francês publicava ensaios, textos curtos e fragmentários que chamou de ―dicionário crítico‖, nos quais definia termos como ―o informe‖ e ―o olho‖, por exemplo. Os vocábulos que redigi a seguir tratam das histórias em quadrinhos, como ―o espaço‖, ―a mão‖, ―a página‖, entre outros. E tal como Bataille, proponho unir imagens e textos. A forma da escrita, além do próprio Bataille, se dirige mais ao modelo fragmentado e de citações de Walter Benjamin, sobretudo, Passagens e os pequenos textos, misto de ensaio, memória e ficção de A rua de mão única. Jogo aqui minha chance (palavra valiosa tanto para Bataille quanto para Benjamin) de confluência entre esses autores ao arriscar usá-los como modelo crítico para as histórias em quadrinhos, tema que trataram apenas de passagem


Palavras-chave


Dicionário Crítico; Georges Bataille; Walter Benjamin

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v6e2201918-36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Lielson Zeni

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.