TV social, experiências compartilhadas e estratégias de transmidiação na minissérie Justiça

Diego Gouveia Moreira, Cecilia Almeida Rodrigues Lima, Gêsa Cavalcanti, Yvana Fechine

Resumo


ste artigo discute as estratégias conversacionais propostas pela Rede Globo, por meio da minissérie Justiça, para ilustrar como as novas formas de consumo da TV promoveram a configuração de um novo estatuto para a televisão. O objetivo é mostrar que as mudanças empreendidas estão centradas na convergência com outros meios, promovendo a construção de laços sociais e compartilhamento de experiências entre espectadores como uma maneira de impulsionar/validar a grade de programação. Parte de uma revisão bibliográfica para localizar historicamente dois conceitos fundamentais na compreensão desse fenômeno: a transmidiação e a TV social. A análise então apresenta as estratégias de TV social empregadas em Justiça, mapeadas por meio da observação sistemática dos perfis da Globo em ambientes digitais. Por fim, o trabalho busca entender como a televisão incorporou novas tendências para atender às demandas de participação e da convergência de conteúdos.

Palavras-chave


Televisão; Transmídia; TV social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v5e32018101-124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Diego Gouveia Moreira, Cecilia Almeida Rodrigues Lima, Gêsa Cavalcanti, Yvana Fechine

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.