Programa casas do patrimônio: da institucionalização ao iminente obscurantismo

Igor Alexander Nascimento de Souza

Resumo


Esse artigo tem o objetivo de analisar o programa Casas do Patrimônio, cuja finalidade é ampliar os espaços de diálogo entre o poder público e a sociedade civil. Trata-se da análise de um dos Macroprocessos Institucionais da Educação Patrimonial (EP) no âmbito da Política Nacional de Patrimônio Cultural, denominado Gestão Compartilhada das Ações Educativas. Para isso foram examinados os Marcos Programáticos da Política de EP: o I Encontro Nacional de EP, I Seminário de Avaliação e Planejamento das Casas do Patrimônio, a Oficina de Capacitação em EP e Fomento a Projetos Culturais nas Casas do Patrimônio, o I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural e o II Encontro Nacional de EP; assim como o caso da Casa do Patrimônio de João Pessoa. Dentre as inferências, o risco de descontinuidade do programa Casas do Patrimônio em decorrência da instabilidade política ocasionada pelo Impeachment e a ascensão de um governo de legitimidade questionável.

Palavras-chave


Educação Patrimonial; Casas do Patrimônio; Iphan.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v4e12017190-209

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Igor Alexander Nascimento de Souza

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.