O boi-de-mamão como ação de cidadania, cultura e sustentabilidade

André Luís Soares Simoni, Giselle Paes Horacio

Resumo


O presente artigo é resultado das vivências pedagógicas de Educação Biocêntrica na Escola Municipal Faustina da Luz Patrício, localizada na cidade de Tubarão/SC. A partir da integração dos participantes com o imaginário da cultura popular catarinense, foi abordado o boi-de-mamão. Aos poucos, o folguedo contagiou e envolveu toda a comunidade escolar, incluindo educandos, educadores, funcionários e a comunidade em geral. Os personagens foram construídos com materiais recicláveis, priorizando a arte, a criatividade e a sustentabilidade. Na cantoria, acrescentaram-se elementos do cotidiano dos participantes, favorecendo a construção coletiva no processo da letra, sem perder ou ignorar os elementos originais que compõe o auto. Para realização, o projeto contou com o apoio de diversos colaboradores e o auxílio de José Marcondes, popularmente conhecido como Seu Zé do Boi e mantenedor do Grupo Folclórico Beco de Beijo.

Palavras-chave


Educação Biocêntrica; Boi-de-mamão; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v2e3201547-67

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 André Luís Soares Simoni, Giselle Paes Horacio

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.