Sujeitos líquidos: as formas de referenciação no discurso do sujeito migrante

Luci Schmoeller, Sandro Braga

Resumo


A globalização tem imposto ao homem um processo de constante transformação de suas relações sociais e, consequentemente, de sua identidade. Este trabalho propõe-se a discutir o descentramento da identidade do sujeito como efeito dos tempos modernos. Neste artigo, são analisadas as escolhas lexicais utilizadas para referenciar o sujeito no discurso de um migrante oriundo do campo que passa (con)viver num centro urbano. Sob a égide da Análise do Discurso (AD), de inspiração francesa, a análise busca identificar as marcas linguísticas que configuram o deslocamento da identidade do homem do campo inserido no contexto urbano e o descentramento da identidade experimentado por ele. Os resultados desta pesquisa apontam para um sujeito cindido, marcado pela fluidez na forma de se autorreferenciar, por exemplo, ao mapear suas experiências de vida na cidade e no campo. Esse aspecto da identidade pode ser compreendido como um traço das consequências da modernidade sobre a identidade dos sujeitos.


Palavras-chave


Identidade; Modernidade; Linguagem; Migração. Autorreferenciação.

Texto completo:

PDF/A


R. cient. ci. em curso, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2317-0077