O IMPRESSO “LIÇÕES DE LER” NA HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO NO IMPÉRIO BRASILEIRO.

Suzana Lopes Albuquerque, Carlota Josefina Malta Cardozo dos Reis Boto

Resumo


O presente escrito tem como objetivo apresentar o impresso Lições de Ler, publicado em 1832 pela Typografia Nacional e escrito por José da Costa e Azevedo que, dentre inúmeros espaços ocupados, viria a ser o primeiro diretor da Escola Normal de Niterói e o primeiro professor de todas as cadeiras nessa escola. A localização desse impresso ocorreu por uma denúncia do português António Feliciano Castilho, registrada em uma carta à sua mulher, a qual acusava de plagiário o professor Costa e Azevedo, por ter feito uma estropiação de Joseph Jacotot, e ainda do português António Araújo de Travassos. Para o entendimento desse contexto, utilizamos fontes como cartas, impressos e fontes jornalísticas, fazendo uma leitura com Bittencourt (2004) e Batista e Galvão (2009). Esse cenário de embates entre diferentes propostas de métodos de alfabetização no Brasil Imperial remonta a disputas políticas, filosóficas, sociais, dentre outras, que extrapolam as querelas dos métodos pedagógicos.


Palavras-chave


Lições de ler; Império; Brasil.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v11e202017214-231

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED