Cenário da educação básica: (im) possibilidades de inclusão?

Maria Cristina Elyote Marques Santos, Paulo César Marques de Andrade Santos, Jean-Claude Régnier

Resumo


Este artigo pretende colaborar com os estudos de equidade e coesão social, tratando a temática a partir de questionamentos: quais alterações aconteceram no cenário da educação básica brasileira e baiana na primeira década do século XXI? Quais as políticas públicas de inclusão e equidade implantadas no período? Como metodologia, são trabalhados os índices de acesso e os de qualidade da educação básica, desde a educação infantil até o Ensino Médio, fornecidos pelo Ministério de Educação e Cultura, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Foi verificado que não se pode afirmar que a educação básica, embora tenha evoluído tanto em instrumentos de inclusão como em qualidade, seja um espaço de equidade e que a qualidade do ensino a qualifica como sendo de um País e Estado com índices semelhantes aos países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento.

Palavras-chave


Educação básica; equidade; inclusão social; avaliação

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v5e02012261-282

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED