Notícias

CHAMADA GERAL

 

Dossiê: Feminismo, Sexualidade e Relações de Gênero: contribuições do materialismo histórico-dialético em análises educacionais

Organizadoras

Cláudia Vianna – Universidade Estadual de São Paulo – USP (cpvianna@usp.br)

Tânia Mara Cruz – Universidade do Sul de Santa Catarina – PPGE UNISUL (tania.cruz@unisul.br)

 

O debate sobre sexualidade, movimentos feministas e o papel da educação na emancipação social sempre esteve pautado na esquerda marxista. Nomes como Alexandra Kollontai e Wilhem Reich merecem destaque, ainda que outros precursores possam ser lembrados.

A partir dos anos de 1970, também no Brasil, apesar das controversas visões economicistas ou ortodoxas que insistem em deixar para depois da revolução tais questões consideradas menores ou fragmentadoras da luta de classes, o feminismo marxista, seja ele racial, étnico ou LGBT tem ocupado um espaço importante no movimento social. Mais recentemente temos visto, no campo das Ciências Sociais, História e Serviço Social, a preocupação com a incorporação desta temática refletida em novas produções teóricas, às vezes tendo como objeto de pesquisa a Educação. Todavia, o método materialista histórico-dialético ainda tem sido pouco visibilizado como um referencial possível para trabalhar tais questões no âmbito da Educação, particularmente em contextos escolares.

O momento em que vivemos, de um contexto de forte crise do capital e crescimento da extrema-direita, tanto na Europa quanto no Brasil, a exemplo das questões que envolvem Ideologia de gênero e Escola sem Partido, torna necessário o fortalecimento da luta feminista e classista dentro de uma perspectiva marxista. Pretende-se que o Dossiê seja mais um espaço de circulação de novas contribuições que referendem o marxismo como concepção de densidade teórica dentro do feminismo classista, em conjunto às demais concepções anarquistas, queer, entre outras que têm dado suporte para as lutas feministas contemporâneas.

O objetivo é contemplar trabalhos inéditos resultantes de pesquisas teóricas e/ou empíricas que articulem o método materialista histórico-dialético na construção de suas análises. O Dossiê contemplará um amplo leque de temáticas que articulem Feminismo, Sexualidade e Relações de Gênero em contextos educativos formais e não formais. Além de outras temáticas, serão bem-vindas reflexões sobre a educação indígena, quilombola e rural.

As reflexões em torno das articulações entre feminismo, sexualidade e relações de gênero na Educação têm muito a ganhar com as contribuições de outras realidades. Nesse sentido, esta chamada também se estende a pesquisadores/as de outros países.

Do envio dos textos: a postagem das submissões poderá ser feita individualmente por autor, mediante seu cadastro na Revista Poiésis, marcando a opção AUTOR. O responsável pela postagem fará constar em informações ao Editor (item constante durante o processo de submissão) a informação: Texto referente ao dossiêFeminismo, Sexualidade e Relações de Gênero: contribuições do materialismo histórico-dialético em análises educacionais.

Do prazo para postagem das submissões: até 30/06/2018. Somente os textos enviados até essa data serão avaliados para a temática. Textos enviados fora do prazo poderão ser avaliados dentro do fluxo normal da Revista.

Da publicação: O dossiê tem previsão de publicação para o segundo semestre de 2018.

Das instruções para os autores:  A Revista Poiésis é avaliada com Qualis Capes B2 na área da Educação. As diretrizes para autores poderão ser acessadas através do link  http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/about/submissions#authorGuidelines

 
Publicado: 2017-12-18
 

CHAMADA GERAL

 

Dossiê: A formação dos profissionais de Educação Infantil

Organizadoras

Lenira Haddad – Universidade Federal de Alagoas – UFAL (lenirahaddad@gmail.com)

Maria Assunção Folque - Universidade de Évora – Portugal (mafm@uevora.pt)

Márcia Buss-Simão – Universidade do Sul de Santa Catarina – PPGE-UNISUL (marcia.simao@gmail.com)

 

A proposta deste dossiê é reunir pesquisas e ensaios que abordam tendências teóricas e práticas que fundamentam a formação da docência para a educação infantil. A formação inicial para professores da educação infantil passou a ocupar um lugar mais proeminente na pauta de discussão da agenda política e educacional do sistema brasileiro de educação, a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Brasil, 1996). No entanto, só ganhou inserção instituicional em 2006 com a aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia (Resolução CNE/CP nº 1, de 15 de maio de 2006) que consolida a formação da docência na Educação Infantil no Curso de Pedagogia. Passado mais de uma década de implementação dessas Diretrizes, indaga-se se o reconhecimento da especificidade da configuração do campo profissional e do trabalho educativo com as crianças pequenas está garantido.

De acordo com o Censo Escolar de 2016, o Brasil conta com quase 170 mil instituições de educação infantil regulamentadas, que atendem 8 milhões de crianças de 0 a 5 anos sob a responsabilidade de 518 mil professores de educação infantil. Esses números colocam grande responsabilidade na formação em Pedagogia. Esse campo de conhecimento está preparado para formar profissionais para atuarem como professores e professoras de educação infantil? Como essa formação está sendo oferecida? Os processos formativos correspondem às especificidades do trabalho educativo com as crianças pequenas? Quais as tendências teóricas que fundamentam a formação da docência para a educação infantil? Quem forma o docente dos cursos de Pedagogia que formam os/as professores/as de educação infantil?

As reflexões em torno do campo profissional e da formação inicial para a educação infantil se enriquece com contributos de outras realidades. Nesse sentido, esta chamada se estende também a pesquisadores de outros países.

Serão aceitos artigos dentro das seguintes temáticas: a) o currículo dos Cursos de Pedagogia relativamente à educação infantil, incluindo mudanças e permanências nos currículos a partir da aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia em 2006; b) o perfil do/a professor/a de educação infantil e a formação inicial; c) infância, crianças e as especificidades de sua educação na formação inicial; d) as contribuições advindas de diferentes áreas do conhecimento que fundamentam a formação inicial; e) as contribuições da arte e das linguagens expressivas no percurso de formação docente; f) a escuta das crianças e a contribuição das pesquisas com crianças na formação do/a professor/a de educação infantil.

Do envio dos textos: a postagem das submissões poderá ser feita individualmente por autor, mediante seu cadastro na Revista Poiésis, marcando a opção AUTOR. O responsável pela postagem fará constar em informações ao Editor (item constante durante o processo de submissão) a informação: Texto referente ao dossiêA formação dos profissionais de Educação Infantil.

Do prazo para postagem das submissões: até 31/01/2018. Somente serão avaliados para essa temática os textos enviados até essa data. Textos enviados fora do prazo poderão ser avaliados dentro do fluxo normal da Revista.

Da publicação: O dossiê tem previsão de publicação para o primeiro semestre de 2018.

Das instruções para os autores:  A Revista Poiésis é uma revista avaliada com Qualis Capes B2 na área da Educação. As diretrizes para autores poderão ser vistas no link a seguir: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/about/submissions#authorGuidelines

 
Publicado: 2017-11-08
 
1 a 2 de 2 itens