Hiperenunciador: o outro do supradestinatário?

Maria Marta Furlanetto

Resumo


O objetivo neste ensaio é verificar se a noção de “hiperenunciador”, proposta e desenvolvida por Maingueneau (2005a, 2008) em seus últimos trabalhos de Análise do Discurso, teria correlação com a noção genérica de “terceiro” (investigada em suas variantes) na teoria do Círculo de Bakhtin. Tem-se como proposta examinar uma aproximação ou inspiração para rever questões associadas aos gêneros instituídos, incluindo a autoria. Busca-se estabelecer seu modo de funcionamento e as implicações relativas ao processo de autoria. Observa-se, em conclusão, que o entendimento de supradestinatário (como “terceiro”) vai desde uma instância vinculada ao ego, um duplo do enunciador, até uma instância externa, independente do enunciador (o terceiro com marca coletiva), como um conjunto de normas que é preciso seguir para a aceitação do texto (numa comunidade de discurso), estendendo-se ainda a uma forma de discurso interior, até, eventualmente, coincidir com o hiperenunciador.

Palavras-chave


Discurso; Hiperenunciador; Supradestinatário; Autoria

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.