Um percurso teórico-metodológico para o estudo de constelações de gênero

Júlio César Araújo

Resumo


Neste ensaio, proponho um percurso teórico-metodológico que permita fundamentar uma possível reflexão sobre o fenômeno de agrupamentos de gêneros discursivos. Para tanto, empreendo uma análise dos argumentos de Marcuschi (2000) e de Bakhtin ([1929] 2002) acerca do agrupamento de gêneros. Embora haja discrepâncias entre uma e outra proposta de conceber uma constelação de gêneros, é possível estabelecer um ponto consensual entre esses estudiosos, na medida em que ambos salientam as tendências dos gêneros às variações e às transmutações. Os efeitos dessa análise permitem a conclusão de que um estudo que queira empreender a caracterização de uma constelação de gêneros deve se estruturar a partir de três eixos temáticos fundamentais: a(s) esfera (s) de comunicação em que tais gêneros se ambientam; os rastros deixados durante o seu processo de formação e os propósitos comunicativos atendidos por cada gênero dentro da constelação.

Palavras-chave


Constelação de gêneros; Esfera de comunicação; Transmutação; Propósito comunicativo

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.