CORPO COMO CONTEXTO-DE-OCORRÊNCIA DE METAPRAGMÁTICAS SOBRE O PORTUGUÊS EM SOCIALIZAÇÕES DE ESTUDANTES MIGRANTES PARA O BRASIL

Joana Plaza Pinto

Resumo


Este artigo analisa projeções metapragmáticas sobre o português em narrativas de estudantes migrantes no Brasil. Produzidas em pesquisa etnográfica longitudinal, as narrativas focaram nas trajetórias de vinda, recepção e permanência migratória e suas posições diante do português. Para esta análise, são centrais as interpretações de Povinelli sobre os estudos metapragmáticos e de Ochs sobre socialização pela linguagem. A análise aponta que a socialização das normas institucionais é fundamental nas formulações explícitas sobre o valor do português de quem narra e a avaliação da experiência estudantil. Essas metapragmáticas orientam a interpretação dos valores linguísticos do que é dito, para quem, por que e em que circunstâncias, enquanto o corpo que fala projeta-se e projeta suas/seus interlocutoras/es nessa interpretação. O corpo é um contexto-de-ocorrência para os recursos semióticos – o lugar em que se constituem condições para se dizer certas coisas e o lugar que é constituído pelas coisas que se diz.

Palavras-chave


Migração estudantil; Corpo; Socialização; Metapragmática; Português

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.