AS NARRATIVAS DE SI E A PRODUÇÃO DA MEMÓRIA DO HIV NA CAMPANHA O CARTAZ HIV POSITIVO

Atilio Butturi Junior, Camila de Almeida Lara

Resumo


Este trabalho tem como objetivo fazer uma análise discursiva dos enunciados das narrativas de pessoas que vivem com hiv no Brasil contemporâneo. Para tanto, partiu de discussões sobre a memória e sobre o papel das narrativas na experiência da doença, bem como da problematização biopolítica do que aqui se entenderá como o dispositivo crônico da aids. Os recortes discursivos analisados são compostos de depoimentos em vídeo de sujeitos que vivem com hiv, produzidos em 2015 pelo Grupo de Incentivo à Vida como parte da campanha O Cartaz HIV Positivo. A hipótese é de que o funcionamento discursivo nessas narrativas indica um jogo ainda em aberto que diz respeito aos enunciados estigmatizantes de sidanização, às técnicas de confissão e às possibilidades de resistência para os sujeitos que hoje vivem com hiv.

Palavras-chave


Narrativa da doença; Memória; HIV/AIDS; Subjetivação; Resistência.

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.