Frequência de palavras e processos inferenciais: o que aprendizes de uma l2 podem dizer sobre isso

Alessandra Baldo, Tássia Ávila Silva

Resumo


Este artigo apresenta os resultados de um estudo cujos objetivos foram verificar possíveis relações entre a frequência de palavras e os processos de inferência lexical de aprendizes de inglês como língua estrangeira (L2), também entre a frequência das palavras e os graus de inferências apropriadas de tais palavras. Foram analisados protocolos verbais de 15 sujeitos de nível intermediário de inglês durante a realização de uma atividade de leitura na qual lhes era solicitado inferir o significado de 21 palavras, divididas entre baixa, média e alta frequências. Constatou-se que as estratégias com maior número de ocorrências permaneceram invariáveis ao longo das três categorias de frequências das palavras e que, na direção contrária da hipótese inicial, maior percentual de inferências apropriadas foi obtido nas palavras de baixa frequência, em comparação com as de alta frequência. Os resultados são interpretados com base na literatura vigente.

Palavras-chave


Frequência de palavras; Inferência lexical; Aquisição de vocabulário em L2

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.