Tematizando o ritual de linguagem

Renata Marcelle Lara Pimentel

Resumo


O ritual é tratado, neste estudo, como linguagem, considerando a falha elemento constitutivo da língua. Como a ideologia se materializa nas práticas rituais, e estas falham, há possíveis bloqueios na ordem ideológica. Explorando contribuições de Louis Althusser, Michel Pêcheux encontra nas teorizações do autor sobre o ritual a falha como a possibilidade mesma da resistência, pois o assujeitamento, questão incontornável para o sujeito, ao mesmo tempo livre e responsável, não acontece sem brechas na interpelação. Proximidades e distanciamentos entre Pêcheux e Foucault também são requeridos para se pensar o ritual de linguagem. Explicitações, diálogos e confrontos teóricos mobilizam a busca por compreender o ritual em sua sujeição a falhar para, assim, pensar o ritual telejornalístico, constituído pela falha, nos domínios próprios da Análise de Discurso francesa pêcheutiana. A tese defendida é de que no mesmo ponto de encontro material que se produz o efeito de evidência este se desfaz.

Palavras-chave


Ritual; Falha; Linguagem; Discurso; Ideologia

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.