Os estágios de aprendizagem da escritura pela criança: uma nova leitura para um antigo tema

Cláudia Martins Moreira

Resumo


Este trabalho faz uma revisão dos estágios de aquisição da escrita à luz da Linguística Aplicada, e fornece uma alternativa diversa dos conhecidos estágios ferreirianos, muito utilizados pelo professor alfabetizador. Para tal, lanço mão de achados e conclusões fornecidos pelos estudos de aquisição da escrita, de orientação fonológica (ABAURRE, 1998, 1999; CAGLIARI, 1992a, 1992b, 1998), bem como de estudos de aquisição da linguagem que evidenciam o papel do molde silábico no processo aquisicional (McNEILAGE; DAVIS, 1990). São utilizados, como corpora, os registros da pesquisa de campo e experimental realizada ao longo do ano letivo de 2006, com 20 crianças de escolas públicas da cidade de Salvador, em cinco encontros periódicos individuais de produção escrita. Tais produções me permitem concluir que o percurso da aquisição da escrita inicia-se com a ausência de relação grafo-fônica, passando por uma série de etapas cíclicas de relações som/letra, até atingirem as relações ortográficas, cuja dependência som/grafia é superada.

Palavras-chave


Escrita; Fonologia; Aquisição; Alfabetização; Estágios

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.