Entextualizações estratégicas: performances sensualizadas de raça em práticas discursivas na Web 2.0

Thayse Figueira Guimarães, Luiz Paulo da Moita Lopes

Resumo


Este artigo focaliza as práticas discursivas de Luan, um jovem negro e de identificações homoeróticas, em interação na Web 2.0. Os dados foram gerados em uma investigação etnográfica, no contexto interacional da rede social Facebook. As noções de entextualização e de performances são privilegiadas para dar conta da observação dos processos de circulação e desestabilização de discursos cristalizados de raça, na construção das identificações de Luan como garoto negro e sensual. Defende-se que tais noções são a chave de leitura para a compreensão de como tais discursos são estrategicamente utilizados pelo jovem, ao construir suas performances nas interações com amigos dessa rede social. As análises apontam que identificações de raça são entremeadas por marcas de gênero/sexualidade e que estratégias de agenciamento emergem em meio a uma profusão de significados normativos.

Palavras-chave


Performance identitária; Entextualização; Agenciamento

Texto completo:

PDF/A


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.