“Entra burro; sai ladrão” – o imaginário sobre a escola materializado nos genéricos

Fábio Elias Verdiani Tfouni, Leda Verdiani Tfouni

Resumo


Nosso objetivo neste trabalho é analisar parte do imaginário social sobre a Escola no Brasil. Pretendemos, em particular, investigar uma fórmula genérica, “Entra burro; sai ladrão”, por ser em lugares discursivos como esse (onde se incluem também "slogans", provérbios e máximas) que se condensam formações discursivas específicas a respeito de como o sujeito coletivo representa a instituição escolar. Partimos do princípio de que o genérico funciona como um mandamento que faz o sujeito “gozar”, ao ocupar uma posição ideologicamente definida. Pretendemos, ainda, relacionar os resultados obtidos na análise com as representações que são construídas sobre a Escola. Do ponto de vista teórico, procuraremos descrever como a memória se atualiza, tanto no discurso oficial, quanto no imaginário popular, naturalizando sentidos. Um dos aspectos importantes de estudos desse tipo é que se trata de abordar os discursos e, portanto, o “conhecimento” dos próprios usuários do sistema escolar.

Palavras-chave


Discurso; Imaginário; Escola; Estudante

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.