Quando a ficção invade a prosa: práticas discursivas não-canônicas no discurso acadêmico

Anna Elizabeth Balocco

Resumo


Neste artigo, focalizam-se duas dissertações de mestrado não-canônicas e discutem-se as condições de possibilidade para sua emergência. O argumento apresentado desenvolve-se em duas direções: 1) as dissertações escapam à regra do “comentário” (FOUCAULT, 1996), mas não emergem exclusivamente como práticas sociais que rejeitam e, portanto, são parcialmente governadas por aquele princípio – ou pela dimensão do simbólico onde este princípio está codificado; e 2) no caso das dissertações analisadas, reconhecem-se diferentes dimensões discursivas no espaço simbólico onde se inserem: uma dimensão de certa cultura local, em determinada instituição; uma outra dimensão, relacionada à cultura de dada disciplina; uma dimensão ainda mais abrangente, relacionada a paradigmas epistemológicos. No final do trabalho, são feitos comentários sobre as relações entre o simbólico, como o local da mediação discursiva, e a prática social, o local de emergência do sujeito (LACLAU, 2000).

Palavras-chave


Discurso acadêmico; Gênero; Prática discursiva

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.