Sobre a lingüística crítica

Roger Fowler

Resumo


Neste artigo traço uma retrospectiva da área de Linguística Crítica (LC). A LC emergiu no final dos anos 70 como uma lingüística instrumental na linha proposta por Halliday, desenvolvendo uma análise do discurso público criada para chegar à ideologia codificada implicitamente por detrás de proposições abertas, em particular no contexto das formações sociais. Os proponentes desse modelo lingüístico estão interessados em usar a análise lingüística para expor representações falsas e discriminações em diferentes tipos de discurso público: jornais, propaganda política, documentos oficiais, regulamentos, gêneros formais como a entrevista, etc. Procuro apontar, também, as dificuldades, falta de clareza, e falta de um plano de desenvolvimento da área. A lingüística crítica ainda enfrenta grandes problemas, tanto em termos de teoria quanto de método, assim como em termos de aplicação. Entretanto, meu objetivo com estes breves comentários é deixar claro que é possível desenvolver consideravelmente os aspectos básicos da lingüística crítica, através da formulação de uma concepção mais inclusiva de ideologia-na-linguagem, com uma metodologia analítica correspondente; e através da regularização do estudo da dimensão histórica e textual da linguagem.

Palavras-chave


Lingüística crítica; Teoria; Metodologia; Contexto; Ideologia

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.