Correlação entre as informações postas e pressupostas e a atribuição do traço [± permanente] aos locativos do verbo ir de movimento

Mariléia Silva dos Reis

Resumo


Resumo: O emprego variável da regência do verbo IR de movimento das formas a/para (padrão) vs em (não-padrão) não se dá aleatoriamente, mas por motivações específicas (Mollica, 1996; Reis, 1998). Partindo destas considerações, neste presente trabalho investigamos até que ponto o conteúdo semântico e as inferências pragmáticas de uma dada asserção podem orientar o falante no emprego de uma ou de outra forma preposicional diante de locativos marcados pelo traço [± permanente].

Abstract:The variable use of the regency of the verb IR of movement of the forms a/para (standard) versus em (not-standard) is not random, but is due for specific motivations (Mollica, 1996; Kings, 1998). In this work we investigate how the semantic content and the pragmatic inferences of one given assertion can guide the speaker into one or another preppositional item in front of locative cases marked by the permanent trace.


Palavras-chave


Semântica; Pragmática; Posto; Pressuposto

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.