Conhecimento de jornalistas sobre gêneros textuais: um estudo introdutório

Adair Bonini

Resumo


Resumo: Até que ponto um esquema cognitivo baseado exclusivamente em partes características de um texto, como a superestrutura, pode explicar o conhecimento sobre gêneros textuais? Com base nesta questão, este artigo relata um experimento realizado com quatro jornalistas em que duas hipóteses foram testadas: 1) a de que o conhecimento do jornalista sobre gêneros está mais centrado em aspectos da prática social (profissional) que na estrutura destes textos; 2) a de que um gênero como a dissertação escolar, embora bastante conhecido, deve apresentar, a este sujeito, dificuldades para uma definição por causa de sua funcionalidade questionável em termos de uma prática social.

Abstract:To what extent a cognitive schema based exclusively on characteristic parts of a text, such as the superestruture, can explain genre knowledge? Based on this question, this article presents a discussion of an experiment carried out with four journalists. Two hypotheses were tested: 1) that knowledge of genre used by journalists is more centered on aspects of social (professional) practice than on the structure of the texts; 2) that a genre such as a school dissertation, though quite known, may present to the subjects part of this research difficulties for a difinition due to its questionable functionality in terms of a social practice. 

Palavras-chave


Gênero textual; Processamento textual; Psicolingüística

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.