Referenciação e hiperestrutura em textos de divulgação científica para crianças

Maria Eduarda Giering

Resumo


O artigo trata da construção de objetos de discurso em reportagens de divulgação científica dirigidas às crianças e tem como objetivo examinar a produção de sentidos sobre temas da ciência nas inscrições anafóricas que partem de termos do cotidiano e desembocam em expressões especializadas. Observam-se aspectos semântico-pragmáticos das anáforas acionadas pelo produtor textual para informar/explicar e captar seu leitor infantil. O corpus é formado de sete reportagens da revista Ciência Hoje das Crianças, selecionadas por constituírem uma hiperestrutura. Os postulados referentes ao contrato de comunicação da midiatização da ciência de Charaudeau (2008b), as noções de esquematização e pré-construídos culturais (GRIZE, 1990, 1996), a noção de hiperestrutura (ADAM; LUGRIN, 2000, 2006) e os estudos de referenciação discursiva (MONDADA, 2002) são os aportes teóricos deste estudo. Verificou-se a recorrência no engendramento de esquemas inteligíveis para o leitor infantil, via coconstrução das anáforas, que, categorizadas nas instâncias da hiperestrutura, revelam estratégias de encenação.

Palavras-chave


Divulgação científica; Mídia; Leitor infantil; Objetos de discurso; Hiperestrutura

Texto completo:

PDF/A


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.