PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA COMO PRÁTICA DE INOVAÇÃO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO NO CENTRO EDUCACIONAL MARISTA LÚCIA MAYVORNE

Nei Antônio Nunes, Jacir Leonir Casagrande, Márcia Maria Gil Ramos, Andréia Aparecida Pandolfidos Santos, Louise Corseuil

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as ações comunitárias articuladas ao projeto educacional-social do Centro Educacional Marista Lúcia Mayvorne. Trata-se de um estudo qualitativo, cujo meio de investigação é o estudo de caso. A pesquisa visou a analisar se a relação entre projeto e comunidade pode ser considerada uma prática de inovação social. Os resultados e as evidências encontradas indicam que há significativa aderência da prática comunitária desenvolvida no projeto com a inovação social, pois através da imbricação entre o projeto educacional e a ação comunitária criam-se condições para o fomento e consolidação de formas de emancipação individual e coletiva.


Palavras-chave


Comunidade; Inovação Social; Projeto Educacional-Social; Emancipação; Autonomia.

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGAMBEN, G. A comunidade que vem. Trad. Antônio Guerreiro. Lisboa: Editorial Presença, 1993.

BAUMAN, Z. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BIGNETTI, L.P. As inovações sociais: uma incursão por ideias, tendências e focos de pesquisa. Ciências Sociais Unisinos, v. 47, n. 1. (2011).

CENTRO EDUCACIONAL MARISTA LUCIA DO LIVRAMENTO. Projeto Político Pedagógico, 2014.

CLOUTIER, J. Qu´est-ce que l´innovation sociale? Cahier de recherche du CRISES, n. ET0314, Montreal: UQAM, 2003.

ESPÓSITO, R. Communitas. Buenos Aires: Amorrortu, 2007.

TÖNNIES, F. Einführung in die Soziologie. F. Enke, 1965.

LÉVESQUE, B. Les entreprises d'économie sociale, plus porteuses d'innovations sociales que les autres? In: COLLOQUE DU CQRS AU CONGRES DE L’ACFAS, 2001, Montreal, Cahiers du CRISES, v. 0205, 2002.

BUBER, M. Sobre comunidade. Editora Perspectiva, 1987.

MARTINS, G.A.; THEÓPHILO, C.R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MULGAN, G. et al. Social Innovation. What it is, why it matters and how it can be accelerated. Oxford Said Business School - Skoll Centre for Social Entrepreneurship, 2007.

MURRAY, R. et al. The Open Book of Social Innovation. London, NESTA/The Young Foundation. 2010.

NANCY, J.L. La communauté désoeuvrée. Paris: Christian Bourgois Editeur, 1986.

NUNES, N. A. Agamben e o conceito de estado de exceção. Revista de direito. Florianópolis, n. 3, p. 201-207, jul./dez. 2007.

NISBET, R. A. The Quest for Community: A Study in the Ethics o forder and Freedom. 1953.

SCHUMPETER, J.A. Teoria do desenvolvimento econômico. Fundo de Cultura, 1961.

PARSONS, T. Politics and social structure. Free Press, 1969.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Editora Martin Claret. 1973.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v10e22017154-180

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .