Navegando no atlântico pardo ou a lusofonia reinventada

Simone Pereira Schmidt

Resumo


O artigo pretende discutir o projeto colonial português e seus desdobramentos em termos de gênero e raça, tomando como ponto de partida o motivo da viagem e as rotas transnacionais do Atlântico Negro de Paul Gilroy. Para refletir sobre a "lusofonia" e suas implicações, dois romances são abordados: Nação Crioula e O ano em que Zumbi tomou o Rio, ambos do escritor angolano José Eduardo Agualusa.


Palavras-chave


Colonialismo; Pós-colonialismo; Raça; Gênero; Literatura angolana; Lusofonia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v1e2200622-25

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.