O grau zero da subjetividade: documentários e jogos de linguagem

Pablo Gonçalo

Resumo


Este artigo analisa três documentários subjetivos. São eles: Rua de mão dupla (Cao Guimarães, 2002), Jogo de cena (Eduardo Coutinho,2006) e Serious games (Harum Farocki, 2010). A análise busca compreender a singularidade dessas obras por meio das formulações de jogos de linguagem, de Ludwig Wittgenstein, e máquinas subjetivas, de Felix Guatarri. Pretende-se, com esses conceitos, contribuir para parte do debate sobre as relações existentes entre documentário contemporâneo, subjetividade, linguagem e ética no documentário.

Palavras-chave


Documentário contemporâneo; Subjetividade; Jogos de linguagem; Wittgenstein. Guatarri

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v6e12011233-249

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.