Minas não é um retrato na parede. Impressões de Minas Gerais em Osman Lins

Cristiano Moreira

Resumo


A série de crônicas “Cadernos de Minas Gerais” publicadas por Osman Lins no Jornal do Commércio do Recife em 1960 e a crônica “Não e só um retrato na parede”, publicada por Julieta de Godoy Ladeira no Suplemento literário de Minas Gerais em 1984 são dois acontecimentos que permitem perceber em primeiro plano as impressões desta viagem em narrativas do livro Nove, novena (1966) e em segundo plano, a importância da tipografia e as relações entre Osman Lins e outros escritores mineiros que configura um movimento importante para pensar o modernismo entre Pernambuco e Minas Gerais.

Palavras-chave


Osman Lins; Tipografia; Minas Gerais; Modernismo; Viagem

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v13e12018141-160

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.