Jean-Luc(s)

Luiz Felipe Soares

Resumo


Trata-se de uma aproximação entre os ensaios Être singulier pluriel, de Nancy, e Histoire(s) du cinéma, de Godard, no sentido de fazer ver a história, em Godard, não apenas, benjaminianamente, como imagem, ou tensão dinâmica entre tempos, mas também como algo necessariamente singular plural, tanto quanto o próprio ser, que é necessariamente ser-com. Com Nancy, Godard aparece contra um certo Godard (pelo menos aquele Godard debordiano), propondo uma história que desativa noções ontológicas tradicionais ao apresentar, não o suposto “Ser”, delirante, como centro da representação, que se torna impossível, mas a própria relação, o próprio ser-com, necessariamente con-fundido nas entre-imagens de seu ensaio.

Palavras-chave


Jean-Luc Nancy, Jean-Luc Godard, ser singular plural, Histoire(s) du cinéma.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v4e12009127-150

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.