A guerra segundo as mulheres: por uma visão feminista e pós-colonial dos relatos de guerra em Angola

Simone Pereira Schmidt

Resumo


Tomando como referência O livro da paz da mulher angolana, organizado por Dya Kasembe e Paulina Chiziane, onde se reúnem testemunhos de mulheres sobre as guerras ocorridas em Angola desde os anos 60 até o início dos anos 2000, o artigo busca discutir o que significa uma poética da memória, aqui marcada por processos de desestabilização de identidades de gênero, sinalizando também a transposição de fronteiras subjetivas e a construção de novas paisagens políticas.

Palavras-chave


Guerra. Mulheres. Testemunho. Memória. Angola.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v12e22017209-218

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.