A representação da realidade em “O Pintor de Retratos” e “A Margem Imóvel do Rio”, de Luiz Antonio de Assis Brasil

Fabio Augusto Steyer

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar dois livros do escritor gaúcho Luiz Antonio de Assis Brasil cujo objetivo principal é discutir a representação da realidade em diferentes linguagens. “O Pintor de Retratos” (2001) trata do debate entre fotografia e pintura como instrumentos de captação “objetiva” da realidade, a partir de um enredo que se passa no final do século XIX. Em “A Margem Imóvel do Rio” (2004) o problema da representação da realidade volta-se para a Literatura e a História. Também ambientado no final do século XIX, narra a história do cronista oficial da corte de D. Pedro II, que viaja ao Rio Grande do Sul em busca de Francisco da Silva, a quem o imperador teria prometido um título nobiliárquico. Além das temáticas de cada livro, a idéia deste estudo é discutir também as próprias obras literárias do autor como produtoras de sentido(s) para a construção de uma determinada visão sobre a representação das realidades abordadas.

Palavras-chave


Literatura; Representação; Realidade

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v11e12016135-144

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.