Um lugar difuso e violento, não muito longe daqui: o primeiro romance de Reni Adriano

Wanderlan da Silva Alves

Resumo


Analisamos o romance Lugar (2010), de Reni Adriano, destacando o modo como a narrativa se constrói valendo-se de narrativas orais, do falar do sertão e da expressão da violência para criar, no plano da linguagem, um Lugar mítico onde se desenvolve a história narrada. Sua condição de narrativa que se incursiona pelo mitopoético e assume uma perspectiva universal faz de Lugar um romance crítico da relação problemática entre o indivíduo e o meio e as oposições entre o litoral e o interior nos processos de modernização do Brasil, situando-a como um romance contemporâneo que dialoga com a vertente regionalista da literatura brasileira.

Palavras-chave


Reni Adriano; Representações da violência; Regionalismo; Narrativa brasileira contemporânea

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v8e12013117-133

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.