Arte e sociedade burguesa na teoria do texto teatral de Peter Szondi

Pedro Rocha de Oliveira

Resumo


O presente ensaio analisa os argumentos desenvolvidos por Peter Szondi em Ensaio sobre o trágico (1961), Teoria do drama burguês (1973), e Teoria do drama moderno (1956), de modo a empreender uma caracterização geral de sua sociologia da literatura, salientando a atenção que o autor dá aos conflitos entre a escritura dos textos teatrais e a tradição dos gêneros teatrais. Aquele processo de escritura é tal que enraíza o texto firmemente em seu contexto social, cristalizando formalmente sua situação social sob a forma de uma estrutura lógica que faz um relato de seu tempo. É assim que, no teatro burguês, as contradições do esforço civilizatório ocidental são formalmente expressas.

Palavras-chave


Peter Szondi; Sociologia da literatura; Sociedade burguesa

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v8e1201311-26

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.