Joaquim Cardozo e Pancetti, águas sem dono

Manoel Ricardo de Lima

Resumo


Este trabalho parte da leitura que Joaquim Cardozo faz da imagem da água na pintura do marinheiro Pancetti como um elemento de “sentido quase místico da paisagem”, uma espécie de “reconciliação com as paisagens do mundo”, uma “solidariedade entre o ser e o agir, entre o ser e o continuar”, tudo isto num movimento browniano de matizes. Cardozo chama esta imagem de águas sem dono. A questão deste trabalho é como ele re-elabora o seu conceito de forma-formante a partir da pintura de Pancetti.

Palavras-chave


Forma-formante; Paisagem; Pintura; Joaquim Cardozo; Pancetti

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v0e02009235-246

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.