Incipit (explicit) Vita Nova: Dante Alighieri e o livro da memória

Eduardo Sterzi

Resumo


Busca-se verificar, neste artigo, como Dante Alighieri cifrou, já no primeiro parágrafo da Vita Nova, com a figura de um livro transcrito fragmentariamente a partir do «livro da memória», questões e procedimentos definidores da singularidade da sua obra, mas também decisivos para a configuração futura da literatura moderna, sobretudo (mas não só) em sua vertente lírica. A questão fundamental a orientar a pesquisa é aquela sobre que operações – retóricas, imaginativas, institucionais – foram necessárias para que a lírica moderna tomasse antes a forma de uma lírica do Sujeito do que de uma lírica do Nada (como se deu, antes de Dante, com Guilhem de Peitieu e voltaria a se dar com Mallarmé, no fechamento do arco histórico-poético aberto por Dante).

Palavras-chave


Dante Alighieri; Poesia; Prosa; Memória; Livro

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v4e2200913-34

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.