Retratos dentro da morte: a Série Trágica de Flávio de Carvalho

Veronica Stigger

Resumo


Em 19 de abril de 1947, Flávio de Carvalho estava na Fazenda Capuava, em Valinhos, e foi chamado às pressas a São Paulo. Sua mãe, Ophélia Crissiúma de Carvalho, que padecia de um câncer extremamente doloroso, agonizava em sua casa, confinada a uma cama. Diante do estertor da mãe, Flávio, filho único, tomou papel e caneta e passou a registrar os últimos instantes de sua vida. No início da tarde, a agonia chegara ao fim. Os croquis que o artista tinha em mãos se transformaram em nove desenhos a carvão sobre papel, conhecidos como A série trágica – Minha mãe morrendo. Neste ensaio, pretende-se examinar o modo como se constitui uma narrativa por meio dos nove desenhos e o que esta narrativa coloca em jogo.

Palavras-chave


Flávio de Carvalho; Série trágica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v4e220093-12

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.