Joaquim Cardozo, crivo e deserto

Manoel Ricardo de Lima

Resumo


O artigo apresenta o procedimento de Joaquim Cardozo com o poema através de uma idéia da linguagem como imagem desviante, aberta, a partir da imagem do crivo, para cumprir o seu próprio deserto. O artigo parte do pensamento crítico de Joaquim Cardozo e de um poema seu intitulado Prelúdio e Elegia de uma Despedida, publicado pela primeira vez em 1952, num livro chamado TRIVIUM, para verificar as relações de sua poesia com esta questão.

Palavras-chave


Poema; Deserto; Espaço; Experiência; Joaquim Cardozo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v4e1200961-72

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.