INTEGRALIDADE, INTERAGE^CIA E EDUCAC¸A~ O EM SAU´DE: UMA ETNOGRAFIA DA NATUROLOGIA

Diogo Virgilio Teixeira

Resumo


A Naturologia é um campo de diálogo entre saberes em saúde caracterizado pela pluralidade. Abarca desde os saberes filiados às diversas disciplinas ocidentais, como biologia, psicologia e antropologia, até práticas terapêuticas não ocidentais que rementem à Índia, China e povos indígenas. O curso de graduação em Naturologia foi fundado em 1998, entretanto, tem suas raízes na contracultura dos anos 1960 e no movimento chamado de Nova Era. Os naturólogos propõem formas de atenção à saúde baseadas numa abordagem característica: a visão naturológica. Nesta visão, a natureza é abordada como uma totalidade na qual tudo e todos fazem parte, os processos de saúde/doença são vistos como a perda de integração entre o ser humano e esta totalidade e a relação terapêutica naturológica propõe simetria e horizontalidade entre o cuidador e aquele que é cuidado. É a partir da educação em saúde que os naturólogos desenvolvem sua prática terapêutica, chamada de relação de interagência, que é o grande diferencial do profissional da Naturologia. Esta nova profissão ainda está em fase de regulamentação no Brasil e tem grande abrangência: spas, clínicas, consultórios, escolas, universidades, cruzeiros marítimos, ONGs e o Sistema Único de Saúde, são alguns dos lugares onde os naturólogos estão trabalhando. Esta dissertação vem complementar as reflexões do único trabalho de pós-graduação sobre a Naturologia escrito por uma cientista social no Brasil. Descrever e analisar o diálogo de saberes na Naturologia foi importante para a ampliação do conhecimento acerca das abordagens e práticas de saúde contemporâneas, assim como para identificar sua possível filiação com as culturas psi e com as insatisfações concernentes ao sistema médico oficial. Para compreender como os diferentes saberes ocidentais e não ocidentais estão sendo assimilados no ensino da Naturologia, foram analisados documentos institucionais da UNISUL, uma das duas universidades onde o curso de graduação é reconhecido pelo Ministério da Educação no Brasil. Para compreender como os naturólogos estão operando o diálogo entre saberes em seu cotidiano conversei com naturólogos formados nesta mesma instituição. A descrição etnográfica foi norteadora deste trabalho, que busca dar voz aos naturólogos para que apresentem quem são e digam o que fazem. Observou-se que a Naturologia mantém continuidades e descontinuidades com relação ao movimento da Nova Era. Se, por um lado, herda deste movimento a pluralidade de saberes e a ênfase no indivíduo, por outro, rompe com este movimento ao institucionalizar-se e ao negar um caráter místico ou esotérico ao seu campo de saber. O sujeito que emerge do contexto pesquisado pode ser visto sob dois pontos de vista: um sujeito psicologizado que reproduz um discurso característico das culturas psi, ou um profissional que contesta o estabelecido e propõe formas renovadas de construir conhecimento e promover a saúde. Este novo profissional opera uma diálogo entre saberes, conduzido pela visão naturológica, ao passo que a visão naturológica é construída pelo diálogo que ajuda a conduzir, constituindo este campo como um caleidoscópio de saberes em saúde.

Palavras-chave


Naturologia; Abordagem integral; Dialogo de saberes; Culturas psi

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/cntc.v4e6201577-78

Cad. naturol. terap. complem. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, 2316-915X

Licença Creative Commons
O trabalho Cadernos de Naturologia e Terapias Complementares está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/CNTC.